Exposição Solar

Exposição Solar

Por: Dr Fernando Ribas

1 – Porquê que o sol faz mal á pele?

R – O sol não faz mal á pele, excepto se a exposição solar for intensa e excessiva.
A exposição moderada e distribuída ao longo do ana é benéfica ao contrário da exposição concentrada num curto espaço de tempo.

2 – Quais são os perigos da exposição solar excessiva?

R – O sol é uma Estrela de Hidrogénio situada a cerca de 150 milhões de quilômetros da terra.É um local de reações Termo nucleares, uma imensa central atómica. Emite radiações que são compatíveis com a vida, como os raios cósmicos, os raios gama, os raios X e os U.V.C. Que felizmente são absorvidos na estratosfera e portanto não atingem a crosta terrestre.
Emite também os U.V.B. e U.V.A. Que são parcialmente absorvidos na camada de ozono e parte deles atingem a superfície da terra.
Emite igualmente a Luz visível indispensável para a vida no nosso planeta bem como os infravermelhos fundamentais para a energia de aquecimento, plantas e a radiação de Rádio tão importantes nas novas tecnologias da TV e telemóveis.
O perigo para a pele reside nos U.V.
Os U.V.B. São altamente energéticos e os grandes responsáveis pelos cancros de pele e atingem a superfície terrestre fundamentalmente a meio do dia.
Os U.V.A. distribuem se ao longo do dia embora com pieces também na hora do almoço e são os grandes pelo envelhecimento da pele.
A radiação U.V. pode provocar fracturas no A.D.N. das células.
Estas podem reconstituir este A.D.N. Lesionado. Contudo se o não de células lesionadas for excessivo pode acontecer que uma ou várias sejam deficientemente recuperadas e originar uma célula anormal, atípica que ao se multiplicar origina uma neoplasia ( cancro ).

3 – Que cuidados são necessários?

R – Fundamentalmente devemos evitar as horas de maior intensidade solar entre as 12:00 e as 16:00h a também exposição excessiva mesmo fora dessas horas.
Se a exposição for necessária então devemos proteger com chapéus e roupas adequadas ao clima e protector solar se tal não for possível.
Os escaldões solares são bastante prejudiciais.

4 – Como identificar os tipos de pele? Cada um deve ter cuidados diferentes?

R – Os vários tipos de pele podem ser identificados através da tonalidade, cor dos cabelos e olhos.
Assim identificam – se habitualmente 6 tipos:

  • Albino ( que não tem pigmento)
  • Ruivo ( com cabelos acobriados e pele com muita pouca pigmento)
  • Loiro ( com olhos verdes ou azuis e cabelo loiro)
  • Castanho ou Moreno ( olhos escuros e cabelo escuro)
  • Moreno escuro ( tipo mediterrâneo, cabelos encaracolados, muita pigmentação e olhos muito escuros
  • Negro

Evidentemente que os indivíduos de pele clara têm muito menos proteção ao sol e como tal devem defender-se mais cuidadosamente.
Os muito morenos já têm pigmentação e consequentemente esta já naturalmente defendido.

5– Quais são os tipos de cancro da pele e porque surgem?

R – O cancro de pele mais frequente é o Carcinoma Basocelular que corresponde a cerca de 80% da totalidade dos cancros de pele mas que felizmente é o mais agressivo.
O Carcinoma Espinocelular que corresponde a cerca de 15% da totalidade dos cancros de pele é um pouco mais agressivo e em alguns casos pode originar metástases ( raizes á distancia ) e invadindo outros órgãos.
O Melanoma Maligno um dos tumores mais agressivos e não só na pele corresponde a cerca de 3 a 4% de da totalidade dos cancro de pele e metastatizar se não for diagnosticado precocemente levando à morte do paciente.
Os epiteliomas ( Carcinoma Basocelular e Espinocelular ) estão relacionados com a exposição intensa prolongada e duradoura ao sol.
Os melanomas são desencadeados fundamentalmente por exposição solar intensa e de curta duração e escaldões solares.
Contudo é de notar que o sol não é responsável por cerca 10% dos cancros de pele mas sim por 90%.

6 – Como detectar lesões?

R – O mais importante é procurar detectar precocemente o Melanoma Maligno devido à sua agressividade.
Assim utilizamos aquilo que chamamos de ABCD dos Nevos e Melanomas.
Um sinal Assimétrico de bordo irregular com mais que uma cor e com dimensões acima de 6 milímetros é uma lesão suspeita, particularmente se tiver uma área mais Elevada ou evolução recente.
Mas devemos estar atentos igualmente a uma ferida que não cicatriza, uma crosta muito aderente ou qualquer lesão tumoral que seja de novo.

7 – Que atitudes podem ajudar na deteção do cancro da pele?

R – O que nós ( dermatologista) aconselhamos é efectuar com regularidade o autoexame da pele.
Cada pessoa deve conhecer os seus sinais e observá los com intervalos de cerca de 3 meses.
Na dúvida deve consultar o seu médico assistente ou um dermatologista.
Existe hoje uma técnica, Dermatoscopia Digital Computorizada, que permite a detecção das alterações antes mesmo dos nossos olhos o conseguir.

8 – Pode fornecer dados sobre a incidência do cancro da pele em Portugal?

R – Em Portugal surgem anualmente 10.000 mil novos casos de Cancro de Pele dos quais cerca de 1.000 mil são do terrível Melanoma.
Assim a incidência de todos os cancros de pele é cerca de 100/100.000 habitantes/ano e do Melanoma cerca de 10/100.000 habitantes/ano.
9 – Como ter um bronzeado saudável?

R – Não há bronzeados saudáveis.
O bronzeado é já consequência de uma agressão à pele. Quando estamos expostos ao sol estamos a ser permanentemente bombardeados por partículas de energia.
A pele ao ser atingida por estas partículas inicia em processo de defesa que consiste na produção de pigmento melânico – melanina.

10 – Que cuidado especial é preciso ter com as crianças?

R – No 1º ano de vida a pele das crianças é um prolongamento da pele embrionária e com tal não deve estar exposta diretamente aos raios solares.
As crianças têm a pele mais sensível que a do adulto, e portanto os cuidados devem de ser redobrados.
Evitar a exposição entre as 12:00h e as 16:00h, proteger com chapéus e roupa apropriada para o clima, incluindo na praia.
Aplicar protector solar se for indispensável, colocar as crianças o máximo de tempo possível à sombra.
Contudo devem conviver com a natureza, ao ar livre, durante todo o ano.

11 – É só na praia e na piscina que se deve ter atenção à protecção da pele?

R – Não, embora sejam esses os locais mais perigosos, porque atualmente a pele está mais exposta.

12 – Quais são os principais erros dos portugueses que gostam de tomar banhos de sol?

R – Os banhos de sol devem ser evitados.
O grande perigo reside nas pessoas que trabalham em ambientes fechados durante o ano e se expõem intensamente ao sol num curto período de férias.
O risco aumenta com as férias relâmpago nos países tropicais ou equatoriais.

 

Marque já a sua consulta!

Unidades